ES Complex

Login

Surgery for obesity and related diseases - Novo artigo

Mais um artigo foi aceito para publicação, esta vez na revista Surgery for obesity and related diseases, uma revista de impacto com título:

Micronutrient and physiologic parameters before and 6 months after RYGB.
(Avaliação de micronutrientes e parâmetros fisiológicos antes e após 6 meses de cirurgia bariátrica)

O artigo é resultado de uma pesquisa no departamento da cirurgia bariátrica da Unicamp. A pesquisa envolveu 36 brasileiros que se submeteram ao procedimento de cirurgia bariátrica na Unicamp.
O grupo foi monitorado pelo período de 2 anos, antes e depois da cirurgia bariátrica, com exames de sangue e os exames do ES Complex.
Em relação aos parâmetros fisiológicos avaliados pelo ES Complex, foi observado que, com a perda do peso, após a cirurgia, problemas como pressão alta, o sistema nervoso autônomo e resistência à insulina melhoraram gradualmente.
Os parâmetros que foram acompanhados são:
Para o sistema nervoso autônomo:HF HRV, LF HRV, LF/HF, SDNN, Stress Index,
Para a rigidez arterial: SI, RI,
Para a pressão arterial: pressão sistólica e pressão diastólica
Para a resistência à insulina: ESC-IR.

O artigo deve ser publicado no segundo semestre de 2014.

Segue artigo publicado no Jornal da UNICAMP com entrevista da pesquisadora
Campinas, 08 de abril de 2013 a 14 de abril de 2013 – ANO 2013 – Nº 556

Estudo aponta deficiência de proteína pós cirurgia bariátrica Ingestão fica abaixo do recomendado, passados seis meses do procedimento Texto: RAQUEL DO CARMO SANTOS

Dr Eligton Chaim durante entrevista sobre a cirurgia bariátrica na UNICAMP

Em 88% de 36 pacientes avaliados que passaram pela cirurgia bariátrica no Hospital das Clínicas (HC) da Unicamp, a ingestão de proteínas estava abaixo do recomendado após seis meses de cirurgia. Mesmo se valendo de uma suplementação padronizada, 61% deles mantiveram deficiência de zinco no organismo depois dos seis meses de procedimento e, no pré-operatório, 55% já apresentavam deficiência devido, basicamente, à má alimentação. Estes foram os resultados da pesquisa apresentada na Faculdade de Ciências Médicas (FCM) pela nutricionista Renata Cristina Gobato. “A perda de peso é importante para evitar o risco de desenvolver diversas doenças. Por outro lado, é preciso estar atento às questões nutricionais para se evitar quadros de deficiências. O zinco, por exemplo, é um componente nutricional importante, pois participa de todo o metabolismo, com importante função antioxidante, imunológica, regulando o paladar e o apetite”, explica a nutricionista.

Segundo Renata Gobato, os benefícios da cirurgia bariátrica são indiscutíveis, pois se trata de um método efetivo para a perda e manutenção de peso. É essencial, no entanto, evitar as várias complicações nutricionais possíveis de acontecer por conta do procedimento. Os resultados, explica ela, demonstram a importância de se promover uma alimentação balanceada não só após a cirurgia, como também no pré-operatório, com reposição dos nutrientes em níveis adequados. “Os indivíduos obesos que estavam no grupo para realizar a intervenção cirúrgica já possuíam deficiências de nutrientes, e nem estavam atentos ao problema”, afirma.

Em um primeiro momento, o estudo realizado com a orientação do professor Elinton Adami Chaim contemplou as análises de zinco e cobre, visto que a técnica cirúrgica que envolve a restrição do estômago e o desvio intestinal utilizada na Unicamp restringe a absorção de micronutrientes no organismo. Ademais, as fontes ricas nestes micronutrientes – carne bovina, ostras, grãos integrais, castanhas para o zinco e fígado, cereais integrais, nozes e chocolate para o cobre – não são recomendadas no pós-cirúrgico. Renata volta a insistir, no entanto, que o consumo alimentar antes da cirurgia também deve ser reforçado, pois no estudo a deficiência já existia. No caso do cobre, Renata Gobato, explica que os resultados não foram tão significativos, quanto no caso do zinco. Pela pesquisa, apenas 8% dos pacientes apresentaram deficiência no pós-operatório.

A suplementação padronizada para os pacientes após a cirurgia consiste em uma formulação contendo vários nutrientes necessários ao organismo, inclusive o óxido de zinco. No entanto, se antes do procedimento já havia a deficiência do nutriente, o óxido de zinco não seria a forma mais adequada de chegar aos níveis normais necessários. A quantidade adequada de ingestão do zinco seria entre oito e 11 miligramas por dia, para mulheres e homens respectivamente, por isso, na opinião da nutricionista, o ideal seria que a suplementação fosse específica com o zinco quelado, mas para isso é necessário comprar este suplemento em separado, já que as fórmulas disponíveis não apresentam essa forma química do zinco. Com isso, seria inviável para o perfil dos pacientes que são atendidos no HC.

As avaliações foram realizadas baseadas na variação antropométrica envolvendo o peso, altura, índice de massa corporal (IMC) e circunferência abdominal e, também, de exames bioquímicos, envolvendo proteínas totais, albumina e pré-albumina no sangue. Além destes métodos, também foi realizado um questionário de recordatório alimentar de 24 horas. Todos os 36 pacientes avaliados estavam no grupo preparatório para a realização da cirurgia bariátrica. Na verdade, o total de pacientes no grupo era de 100, mas somente 36 foram considerados aptos para a cirurgia. Isto porque existem critérios de desempenho que precisam ser cumpridos. “Em geral, os pacientes levam de sete a 14 meses para conseguir cumprir os critérios. Um deles é a perda de 10% do peso corporal”, explica. (R.C.S.)

 
Primeira pagina do artigo sobre cirurgia bariatrica e acompanhamento com o ES Complex dra Renata Cristina Gobato pesquisadora da unicamp e autora do artigo Avaliação de micronutrientes e parâmetros fisiológicos após 6 meses de cirurgia bariátrica
 
Documento sem título

Conheça o ES Complex

Clamp

 

Ouvidoria

Críticas ou sugestões?
envie para:
ouvidoria@escomplex.com.br

Onde fazer o exame

Chat On-line!

LiveZilla Live Help

Inicie um chat Agora!

 

Zeusan Comércio Importações e Exportações de Produtos Médicos e Odontológicos Ltda
Rua Guapuruvu, 180 - Alphaville - CEP: 13098-322 - Campinas/SP
Fone: (19) 3306-0300 até 0305
vendas@escomplex.com.br